Olá!

Eu adoro ler, e compro muitos e muitos livros. Dentre eles, tenho comprado ebooks também, que são o formato digital dos livros. Prefiro um livro de papel, mas não vou entrar nesse mérito.

Achei uma matéria que  foi publicada na Folha de São Paulo, falando sobre as diferenças das telas desses leitores. E compartilharei aqui com vocês. Acrescentei umas imagens para ajudar a visulaizar o tamanho dos “leitores” e algumas diferenças.

Eu tenho o Sony Reader Daily Edition, que usa a tecnologia E Iink. Dura muito mais a bateria e por simular a tinta ( como nos livros impressos) , não provoca tanto aquele cansaço que sentimos ao ler uma tela que emite luz, como em um notebook. Ele parece um pocket book, com uma capinha de couro preta. Em outro artigo falarei mais sobre as características desse tipo de leitor.

Diferenças entre E Ink e LCD

Os principais e-readers do mercado utilizam um tipo de tela em preto e branco que consome pouca energia e permite a leitura mesmo sob a luz do Sol. É o papel eletrônico, ou e-paper.

Entre os vários tipos de e-papers em desenvolvimento, destacam-se os baseados na tecnologia da empresa E Ink, que equipa leitores como o Amazon Kindle, o Sony Reader e o Barnes & Noble Nook.

A tinta eletrônica da E Ink é formada por uma camada de microcápsulas que fica entre dois elétrodos.

Cada microcápsula leva em seu interior um fluido claro com partículas brancas e pretas, que se movem conforme a carga elétrica aplicada no elétrodo inferior para formar a imagem da tela.

Amazon – Kindle DX


Energia

O consumo de energia desse tipo de e-paper é baixo porque ele não tem iluminação própria, e a retenção da imagem estática na tela não gasta energia.

Ao contrário de telas iluminadas com luz traseira, como LCDs de notebooks, o e-paper é reflexivo – reflete a luz ambiente, artificial ou natural.

Sony Reader – Daily Edition

Com isso, ele pode causar menos fadiga visual e consome menos energia, mas normalmente não é legível no escuro.-> Mas se você pensar bem, ao ler um livro de papel, há necessidade de luz. E esses aparelhos tem como prioridade a “leitura” de livros, não outras funções.

Alguns leitores, como o Sony PRS-700BC Reader Digital Book, têm iluminação auxiliar embutida, mas esse é um recurso extra do aparelho, não uma modificação do e-paper.

Outras características comuns em papéis eletrônicos são o grande ângulo de visão; a baixa taxa de atualização, o que torna animações e transições –como mudanças de página– um tanto lentas; e o “ghosting” -tendência a exibir “fantasmas” (resquícios de uma imagem anterior). -> Eu uso o meu há quase um ano e não vi esses “fantasmas”, mas a mudança de página não é instantânea

A maioria dos e-papers implantados em leitores eletrônicos exibe imagens apenas em preto e branco. Os modelos coloridos por enquanto têm uso bastante limitado ou deixam a desejar.

Barns & Noble  Nook

LCD

Reproduzir milhões de cores e atualizar a tela com rapidez pode ser difícil para um papel eletrônico, mas nem tanto para uma LCD.

A tela de cristal líquido que equipa grande parte dos televisores, notebooks, celulares e tocadores portáteis, entre outros aparelhos, pode ser boa para ver vídeos e fotos -mas consome mais energia e pode cansar mais os olhos, a depender da tecnologia utilizada.

O iPad, da Apple, usa uma TFT LCD com iluminação de LED. A luz dos LEDs é difundida por um painel e atravessa camadas de filtros, polarizadores, elétrodos e cristais líquidos até sair da tela.

Usando corrente elétrica, é possível alterar a estrutura molecular dos cristais líquidos e controlar a quantidade de luz que passa pela tela. Subpixels coloridos permitem gerar diferentes cores.

Apple – iPad

A grande vantagem dessa LCD em relação ao papel eletrônico é a capacidade de exibir milhões de cores com uma atualização rápida da tela, o que permite ver fotos e imagens em movimento sem grandes problemas.
A iluminação própria deixa a tela visível no escuro, mas consome mais energia e pode causar maior fadiga visual. Enquanto a bateria do Kindle, por exemplo, tem duração estimada de uma semana, a do iPad promete aguentar até dez horas.

Minhas considerações

Como mencionei em minhas observações no texto, livro foi feito para ler com luz, e esses leitores de ebook se propõe a “imitar” um livro, tanto que a tecnologia que usam não cansa a visão. No caso do iPad, ele não foi desenvolvido somente para ler livros, ele tem milhares de outras funções. O Daily Edition possui wifi para que você se conecte e baixe jornais como New York Times ou acesse a Reader Store da Sony e compre ebooks direto de lá, e no Kindle também tem opção de wifi. Mas nos resta agora aguardar que um dia essa conexão wifi seja funcional aqui nas terras tupiniquins também.

Então se você quer um leitor de ebook, esses readers da Sony, da Amazon, cumprem bem ao que se destinam.

See ya!

Rosana